08 abril, 2013

Texto para Gravidinhas de Plantão!

Bom genteeee, eu aqui no meu repouso ainda nada mais a fazer que postar, se bem que apesar do repouso to até meio sem tempo de postar rsrsrs pois a preguicite aguda tá tomando conta de mim, também pudera né gente o que se faz quando se passa a maior parte do tempo numa cama, DORMIR, DORMIR E DORMIR, credo já nem aguento mais rsrsrs, pois bem, encontrei esse texto e achei super 10 embora eu não seja mamãe de 1° viajem acredito que algumas de vocês sejam ou que conheçam uma, então como vivo nesse mundo de "Buxudinhas", rs, nada melhor que postar tudo sobre "garvidinhas", então postei lá no blog Quero Sonhar Mais um Sonho, o blog para mãe e tentantes, e é claro que tinha que postar aqui também, o cantinho da mais nova gestante, pois bem eu né, me axo.... me sinto 10, hiper e mega nessa faze embora tenha mulheres que odeiem e se sintam feias e péssimas eu me AMO assim, nossa super mágico! então gente lá vai o TEXTO, espero que todas gostem beijinhos da Thy com muito amor...

PARA AS GESTANTES ALGUMAS COISINHAS SOBRE AS CONTRAÇÕES E O MEDO NO TRABALHO DE PARTO


Você não me conhece e, por isso, não tem motivo algum para confiar em mim. Mas eu lhe dou a minha palavra que a dor do parto não é nem de perto esse monstro que você prevê. Porém ela vestirá essa roupagem, se você permitir. Eu sou uma otimista e creio piamente que TODA mulher capaz de gerar, salvo raríssimas exceções, também é capaz de parir. Naturalmente. Nunca tive medo da dor do parto. Mas minha doula me disse uma coisa importante que me ajudou muito a entender o processo das contrações em meu corpo. Ela me disse: são como ondas. Imagine um mar com ondas calmas, indo e vindo. É desta forma que o TP começa. E, acredite, assim como é uma delícia deixar o corpo ao sabor de um mar morno e tranquilo, as contrações SEM indução começam de forma extremamente prazerosa. Então, na primeira contração, que vai durar bem pouquinho, você já poderá deslumbrar o que lhe espera. Ficará surpresa, porque NADA do que lhe contaram sobre serem terríveis e insuportáveis se parecerá com a sensação que elas produzem. Por isso algumas mulheres que se entregam ao prazer do parto recusam-se a chamar de “dor”. O termo certo não é dor. Mas não sei qual é. Assim como algumas línguas não possuem uma palavra para traduzir o que chamamos de “saudade”, a sensação de uma contração não deveria ser traduzida com a palavra “dor”. Bem, se eu tivesse que usar alguma sensação dolorosa para comparar com a contração, a mais próxima seria de uma cólica menstrual. Não sei se você já teve. Mas aquela dorzinha fininha, começando nas costas e caminhando até o baixo ventre. Uma contração é mais ou menos isso (ou não!). Ela vai durar bem pouquinho no início. Tanto é que, as primeiras se você estiver dormindo, nem vai sentir. Duram segundinhos. E até vir a próxima “onda” leva tanto tempo que você já se esqueceu como foi a anterior. Está entendendo? Quando o TP engrenar, o que pode demorar horas ou dias, você já vai estar habituada com a contração. Já conseguirá identificar quando ela inicia, saberá quando está na “crista da onda” e também quando ela está indo embora. Então o que muda para ficar tão difícil como dizem?? Muda a duração da contração, que era segundinhos, e passa a ser de um minuto ou pouco mais. Muda também o intervalo, que podia ser de hora ou longos minutos, e pode passar a ter segundinhos. Ou seja, não existe um momento a partir do qual você sentirá uma dor dilacerante e ficará com ela por dias. Contrações são ondas. Vem e vão. E algumas mulheres, com TP prolongado, podem ter intervalos de minutos e até DORMIREM entre uma contração e outra. Mas aí vem o grande mistério do poder feminino de parir. Se você entender muito bem que aquelas ondas estão trazendo seu filho, a cada contração você sentirá ele mais próximo dos seus braços. Você não lutará contra a contração, porque você QUER que ela venha e lhe traga seu filho. Estar dando a luz e ser a protagonista daquele fenômeno é tão fabuloso que em vez de vestir aquele momento com dor… surpreendentemente você poderá fazê-lo com PRAZER. Porém, você só pode fazer aquilo que acredita que pode. Ainda resta algum tempo até o seu parto, portanto, eu gostaria de lhe dizer para reforçar a auto-estima, olhar para a Cris que muitas vezes superou outros obstáculos na vida, e encontrar força e confiança para assumir o nascimento do seu filho. Acredite que, apesar de tudo que já lhe disseram sobre dores insuportáveis, as mulheres têm sobrevivido à isso por milênios. E elas não o fariam tantas vezes, se realmente fosse maior do que elas podem aguentar. Eu acredito em você!

Nenhum comentário:

Postar um comentário